FedEx

Concepta

Carga Perigosa

Você Sabia?

*clique na pergunta para ver a resposta

Você sabia que produtos perigosos não são apenas os combustíveis e explosivos?

Por definição, DG ou produtos perigosos são artigos ou substâncias capazes de por em risco a saúde ou segurança das pessoas, propriedades ou meio ambiente.

Neste caso, DG é qualquer substância, artigo, produto, mistura, químico ou não, que reúne os critérios para associação a uma ou mais das nove classes de perigo, conforme critérios da Organização das Nações Unidas e legislação pertinente.

Você sabia que produtos perigosos podem ser transportados no mesmo avião que você e sua família viajam?

Artigos perigosos podem ser transportados em aviões com passageiros ou cargueiros, por este motivo, existem regras para o transporte aéreo de produtos perigosos que devem ser observadas e cumpridas criteriosamente para evitar qualquer ocorrência. A FedEx, entretanto, utiliza apenas a sua frota exclusiva de aviões cargueiros.

Você sabia que a classificação de produtos deve ser feita pelo seu fabricante ou por expedidor orientado pelo fabricante?

A legislação determina que a classificação de artigos perigosos seja feita pelo fabricante ou por expedidor orientado pelo fabricante. Para tanto, devem-se levar em conta as características físico/químicas dos materiais e os critérios de classificação da legislação vigente.

Você sabia que é preciso avisar a FedEx sempre que enviar um produto perigoso?

Muitos clientes solicitam a retirada de embarques de produtos perigosos pelas ferramentas de automação da FedEx, porém é necessário também avisar que se trata de um artigo perigoso. Para isso, basta ligar para o número 0800 703-3339, escolher a opção 1-6-1 e falar com um de nossos especialistas.

A FedEx, assim como qualquer outra empresa de transporte, não tem como identificar embarques de DG ocultos ou não declarados, principalmente se a carga estiver embalada em caixas não homologadas e declaradas como outro tipo de mercadoria.

Sempre que houver embarque de produtos químicos, consulte a ficha de segurança para declarar a carga corretamente.

Você sabia que a FedEx tem um time para suporte de quem faz envios de carga perigosa?

O grupo de suporte para DG tem funcionários treinados e com bastante experiência para poder facilitar o embarque de produtos restritos e fazer com que a mercadoria siga para o destino final da maneira mais tranquila possível.

Os couriers da FedEx são treinados para sempre perguntarem do que é feito, para que serve e onde será utilizado o produto enviado. Neste momento, se houver dúvidas, a coleta não será realizada e o cliente será orientado para que busque informações adicionais.

Você sabia que alguns países não aceitam remessas expressas de DG?

Existem países que têm restrições para recebimento de DG como remessa expressa. A restrição pode ser da legislação local ou da FedEx, e precisa ser avaliada caso a caso. Existem também casos de países que aceitam DG, mas têm restrições para alguns CEPs.

Você sabia que não existe coleta regular de produtos perigosos pela FedEx?

A legislação brasileira prevê isenções para o transporte terrestre, baseado no número da ONU e na quantidade de produto. Muitas vezes estes limites são maiores que a isenção, e nestes casos, é necessário enviar um veículo devidamente identificado, com equipamento de emergência e motorista capacitado para o transporte de produtos perigosos de acordo com a legislação. Por isso, é preciso saber antecipadamente o que será coletado para cumprir com os requisitos legais, não sendo possível a coleta regular para DG.

Você sabia que você pode entrar em contato com a FedEx para esclarecer todas as dúvidas e agendar a coleta?

A FedEx dispõe de um serviço de atendimento telefônico exclusivo para quem faz envio de DG. Ligando para 0800 703-3339, opção 1-6-1, você pode esclarecer dúvidas e fazer o agendamento da coleta no endereço desejado.

Você sabia que, além dos documentos de embarque DG, é preciso providenciar os documentos de embarque regular?

O documento do DG é a caracterização da carga perigosa. A Shipper’s Declaration contém as informações técnicas de identificação do produto e os contatos para serem utilizados em caso de emergência. Outros documentos obrigatórios são: o Certificado de Conformidade da Embalagem e o Documento de Embalagem Aprovada.

Porém, o remetente também precisa entregar os documentos de embarque regular como CI, AWB, etc., de acordo com os requisitos legais.

Você sabia que no Brasil existe uma documentação específica para transporte aéreo de carga perigosa?

A documentação obrigatória para transporte aéreo inclui a Shipper´s Declaration, o Certificate of Conformance, emitido pelo fornecedor da embalagem, além de um documento que comprove a aprovação da embalagem para transporte aéreo de produtos perigosos, documento atualmente emitido pela ANAC.

Você sabia que toda a documentação deve ser obrigatoriamente preenchida em Inglês?

O inglês é o idioma oficial da IATA para toda documentação de carga a ser transportada. Uma tradução para outro idioma pode acompanhar a descrição em inglês. Variações entre Inglês Britânico e Norte Americano são perfeitamente aceitáveis. Ex Sulfur ou Sulphur.

Você sabia que todo o preenchimento do documento de embarque DGD deve seguir padrões normativos?

Sim, por isso é muito importante que o embarcador seja treinado para efetuar o preenchimento correto da DGD.

Por exemplo, a descrição das embalagens no campo Quantity and type of packing deve seguir os padrões normativos; ex. para caixa de papelão, Carton Box (errado) Fibreboard Box (correto).

Você sabia que, para envios com a FedEx, o aeroporto de embarque na Shipper’s Declaration deve ser sempre Viracopos?

É muito comum que os clientes preencham o campo aeroporto de partida da Shipper’s Declaration como Cumbica, Rio de Janeiro ou Galeão, mas o correto é Viracopos, VCP, em Campinas.

Você sabia que a identificação básica de carga perigosa é diferenciada?

A identificação básica das embalagens para transporte aéreo de produto perigoso inclui as etiquetas de perigo, e as etiquetas de manuseio, tais como etiquetas de orientação “este lado para cima”, etiqueta com a informação de Net Quantity para embarques que contenham mais de um pacote, etiquetas com informações do Shipper e Consignee, marcas de especificação UN, marcas com o número UN da substância transportada e Nome Apropriado para Embarque.

Você sabia que as etiquetas de identificação de perigo são diferentes umas das outras?

As etiquetas de identificação de perigo têm formato, cores e fontes de texto regulamentados por normas nacionais e internacionais. Confira sempre se a etiqueta utilizada corresponde à classe de produto perigoso que você está enviando.

Você sabia que qualquer marca ou etiqueta de identificação das embalagens não deve ficar obscurecida?

As embalagens devem ser grandes o suficiente para acomodar todas as etiquetas de perigo e manuseio, além das outras marcações exigidas. As etiquetas de risco não devem ser fixadas nos cantos das embalagens. Qualquer informação que fique fora do campo visual provoca a retenção do produto, causando atrasos no seu embarque.

Você sabia que existe um documento onde você pode encontrar todas as informações técnicas de classificação?

As informações técnicas necessárias à correta classificação de perigos de materiais a serem transportados podem ser encontradas nas FISPQs, normalmente disponibilizados pelos fabricantes, nas MSDS ou nos documentos de registro das substâncias.

Você sabia que os artigos perigosos devem ser transportados em embalagens especiais?

As embalagens e o transporte de artigos perigosos requerem cuidados especiais. As embalagens devem ser certificadas para esta operação pela autoridade nacional competente, atualmente a ANAC, receber cuidados especiais no manuseio, carregamento e descarregamento e todos os padrões normativos devem ser observados e atendidos.

Embalagens do tipo combinadas (compostas por embalagens internas dentro de embalagens externas) devem ser utilizadas em conformidade com a condição em que foram aprovadas no processo de certificação, ou seja, se as embalagens internas forem substituídas por outras que não constavam da aprovação original, a validade da certificação deixa de existir e o expedidor assume toda e qualquer responsabilidade em caso de vazamento ou dano.

Você sabia que no Brasil, as operações com produtos perigosos em aeronaves civis são reguladas pela ANAC?

Os regulamentos aplicáveis são: o RBAC – Regulamento Brasileiro da Aviação Civil, nº 175, IS nº 175-001 e CBA – Código Brasileiro de Aeronáutica e estes são baseados nos Regulamentos da ICAO – International Civil Aviation Organization.

Você sabia que existe um curso obrigatório para quem trabalha com transporte aéreo de artigos perigosos?

O curso é obrigatório para pessoas físicas ou jurídicas que movimentam, transportam ou preparam embarques destes produtos em aeronaves civis. Tais treinamentos devem ser homologados pela ANAC.

Você sabia que continua responsável pela remessa até sua entrega ao destino final?

O embarcador é responsável por identificar, classificar, embalar, marcar, etiquetar e documentar os embarques de produtos perigosos, além de cumprir com todos os demais requisitos da legislação vigente, aplicáveis. O transportador não pode assumir as responsabilidades do embarcador.

Já as empresas que fazem o transporte aéreo são responsáveis pelos processos de aceitação de cargas, estocagem, carregamento, inspeção, provisão de informações incluindo respostas de emergências, relato de ocorrências, retenção de dados e treinamento de seu pessoal.

Toda DGD deve ser assinada, datada pelo embarcador responsável, nome e cargo devem ser informados. Para preencher e assinar a DGD, é recomendável que o responsável tenha sido aprovado no curso de transporte aéreo de produtos perigosos.

Você sabia porque a FedEx e a Concepta são extremamente criteriosas no transporte de produtos perigosos?

Alguns clientes não entendem o porquê de tanto critério e consideram os procedimentos como um preciosismo. Porém, a conferência de todos os detalhes é importante para garantir a segurança do envio e para evitar complicações para o remetente.

Você sabia que envios irregulares de carga perigosa podem gerar multas para sua empresa?

Mesmo que o transporte ocorra sem problemas, uma carga perigosa oculta ou não declarada pode ser vistoriada durante todas as fases do transporte até chegar a seu país de destino. Se for encontrada alguma irregularidade, mesmo que apenas na documentação, o remetente poderá ser multado.

Você sabia que a FedEx coleta carga perigosa no Estado do Rio de Janeiro?

O serviço porta a porta de carga perigosa da FedEx está disponível em três cidades do estado: Rio de Janeiro, Petrópolis e Duque de Caxias.

Solicite a retirada através do telefone 0800 703-3339, opção 1-6-1. Além do transporte de produtos restritos, a FedEx oferece suporte para que você tire suas dúvidas e tenha mais segurança em suas remessas.

FedEx - All Rights Reserved - 2011